Conselho… Se fosse bom…

se-eu-fosse-você

Quando você está montando um empresa, parece que todos tem uma opinião ou um conselho sobre o assunto.

Claro, alguns conselhos são realmente bons e valem a pena serem seguidos, mas os mais comuns vale mais a pena ignorar.

Como diferenciá-los?

A primeira dica está em analisar o histórico da pessoa que está lhe oferecendo.

Se a pessoa abriu uma nova empresa, então ela sabe do que está falando, certo? Nem sempre.

A verdade é que o que funciona para uns pode não funcionar para outros, o SEBRAE, por exemplo nos passa um plano básico para o início de uma empresa, mas a verdade é que esse “básico” nada mais é do que o passo a passo necessário para se abrir um empresa e algumas idéias de empreendedorismo também básico.

Um grande ajuda, mas bem generalizada, o que provavelmente se evita que o pequeno empresário a cometa erros, também não o leva a nenhum lugar especial.

Isso não é uma crítica, acredito que o SEBRAE ajuda muito, mas de forma genérica.

A menos é claro que você solicite uma assessoria especial, mas isso já é outra história e eu não estou aqui para falar do SEBRAE.

Digamos que o seu vizinho possua uma pequena empresa no ramo de artesanato, que está em plena expansão, você pode acreditar que seus conselhos irão ajuda-lo, mas se a sua área é, por exemplo, alimentação, a coisa vai ficar meio confusa.

Enfim, aqui estão alguns conselhos que muitos irão lhe oferecer mas que lhe faria muito bem ignorar:

  • Comece com uma grande Idéia

Este é um dos conselhos mais comuns que ouvimos. Nos dias atuais é grande a a pressão para se desenvolver grandes idéias. Se sua idéia for original e boa o bastante você pode revolucionar o mundo industrial.

Bem, isso não funciona dessa forma.

É claro que uma boa idéia é sempre bem vinda e o mundo precisa de inovações, mas isso não significa que ela é imprescindível para se abrir uma empresa. Uma grande idéia é apenas uma peça do quebra-cabeças.

Muitas empresas começam aperfeiçoando idéias de terceiros. Ou até mesmo comercializando produtos de terceiros. Não espere que Einstein venha sussurrar no seu ouvido uma grande teoria antes de abrir sua empresa, até onde sei, Einstein teria muito o que fazer se estivesse por aqui.

  • Faça uma pesquisa de mercado

Não sou cética, mas acredite, o que as pessoas dizem querer e o que elas realmente querem nem sempre são a mesma coisa.

Você pode ouvir  de diversas pessoas que “sim, elas pagariam  R$2,50 pelo seu produto”, o que não significa que elas “comprariam” o produto.

Então, ao invés de perguntar aos futuros clientes o que eles querem, tente encontrar outra forma de descobrir isso. Observe. Não há melhor forma de se ter sucesso no mundo empresarial do que oferecer às pessoas algo que elas realmente precisam, algo que melhore ou facilite suas vidas.

  • Seja pró-ativo

É claro que esse é um bom conselho. Mas na verdade, muitas vezes sua grande oportunidade de Marketing aparece quando você mostra sua capacidade de reagir em tempo real a uma determinada situação. Um exemplo disso é o caso da VivoxGlobo. Para quem não ouviu falar, a Vivo lançou, na época da novela Avenida Brasil, um comercial com o ator Murilo Benício que fazia alusão a seu personagem na novela. A Rede Globo mandou que a operadora retirasse a publicidade do ar, uma vez que o personagem pertence legalmente a emissora. No comercial a fala do ator dava a entender ser sempre o último a saber das coisas por não estar conectado (o objetivo era destacar os serviços de internet da operadora). Quando a Rede Globo fez com que o anúncio fosse retirado, a Vivo (com uma assessoria de marketing excepcional) colocou em seu lugar um banner que dizia “Quem viu, viu. Quem não viu, tá desconectado”, dando a entender que até mesmo a retirada do anúncio foi uma estratégia de marketing.

Neste caso, sendo reativa, a Vivo tirou maior proveito do que ao ser pró-ativa.

  • Você está trabalhando demais

Já ouvi isso milhares de vezes, de familiares e amigos, mas a verdade é que quando você está começando uma empresa é importante que você se dedique, principalmente se é o negócio dos seus sonhos.

É claro que todos precisam de um tempo para relaxar, aproveitar um pouco a vida, ser feliz.

Mas se você se sente feliz ao fazer seu trabalho, ele deixa de ser uma obrigação e pode chegar até mesmo a ser divertido.

Conheça seus limites, mas não deixe que outras pessoas definam se você está ou não trabalhando muito, isso só você pode definir.

 

O ditado diz: Se conselho fosse bom, não se dava, vendia-se.

Eu não acredito nisso, ao longo da vida recebemos excelentes conselhos, mas o principal é saber analisar quais são realmente úteis e quais podem acabar fazendo você cometer outros erros além dos que você certamente cometerá ao longo da vida.

Boa sorte!

Seu comentário foi recebido, responderei assim que possível. Obrigada!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s