Marketing B2B ou B2C? No que investir?

b2b-b2c

A definição do B2B de acordo com a maioria das pessoas é: Uma empresa cujos produtos e serviços são direcionados a outras empresas e não aos consumidores.

Vejo isso de certa forma como uma explicação simplista e que pode acabar confundindo alguns empresários na hora de contratar um profissional de marketing ou de elaborar uma campanha.

O motivo é simples: Sua empresa fabrica produtos para o consumidor? Então o seu marketing deverá ser direcionado exclusivamente para o consumidor, certo?

Depende, se você fabrica o produto e distribui para revendedores, então o seu cliente direto não é o consumidor, mas outras empresas.

Isso significa que você deveria pensar em dois tipos de campanha, uma para o consumidor, que irá buscar pelos seus produtos nas lojas e um para as lojas que “precisam” ser convencidas de que comprar o seu produto para revender é uma coisa que vale à pena.

Você pode me dizer que se os consumidores começarem a solicitar o produto na loja o proprietário irá procurá-lo para comprar. E é verdade.

No entanto imagine o tempo que levará para que um proprietário de loja ouça falar do seu produto e se convença de que precisa dele.

Por isso é importante que você pense em como dividir sua campanha entre ambos.

Ao criar uma sua campanha B2C você estará construindo o nome de sua marca, de forma que o consumidor se lembre de você ao entrar na loja, enquanto isso, sua campanha B2B irá garantir que, quando o consumidor chegue à loja, seu produto já esteja lá, à disposição.

Parece simples? E é!

Muitos empresário pensam diretamente no consumidor final, montam sua campanha, divulgam seu produto, mas se esquecem de que se o produto não estiver facilmente disponível, o consumidor acabará escolhendo qualquer marca entre as que ele encontrar.

Direcionando sua campanha a ambos os seguimentos você garante as duas coisas: Ser lembrado pelo consumidor e ter seus produtos disponíveis.

E, por favor, lembre-se de que “são”, sim, tipos de campanhas diferentes e que embora muitas empresas B2B utilizem as mesmas campanhas para ambos, campanhas diferenciadas, com certeza, serão muito mais efetivas.

Boa sorte!

Anúncios

Marketing de Conteúdo – Não cometa estes erros

marketing-de-conteúdo 

Táticas como o Marketing de Conteúdo já provaram ser eficazes para atrair a atenção e envolver o público alvo.

Os estrategistas de Marketing Online só têm a elogiar o Marketing de Conteúdo e as empresas começam a reconhecer o valor deste tipo de Marketing.

Mas é necessário que se diga: Uma campanha de Marketing de conteúdo ruim é pior do que nenhuma.

Então se você tem intenção de lançar uma campanha de Marketing de Conteúdo é importante que evite os seguintes erros:

  • Gramática/Ortografia – Mesmo que você seja um professor de português, quando as ideias começam a fluir rapidamente e a mão voa pelo teclado alegremente, erros podem acontecer com frequência. É impressionante a quantidade de erros de ortografia e gramática que vemos na internet, mesmo nos maiores jornais online. Então, uma regra do Ensino Fundamental: Revise o seu texto. Melhor do que isso, peça a alguém de sua confiança que o revise também, um outro par de olhos é sempre bem vindo em uma revisão.
  • Muito ou pouco texto – O Marketing de Conteúdo é infinito e deve ser contínuo, então você precisa determinar a quantidade de conteúdo que vai compartilhar. Excesso de texto acaba se tornando cansativo, tanto para quem escreve quanto para quem lê, mas principalmente para quem lê na internet. Eu já disse isso antes, usuários da internet não gostam de perder tempo lendo textos enormes, a menos que sejam técnicos ou realmente cativantes. A quantidade de texto deve ser levada muito a sério, pois muito texto pode significar perder sua audiência e pouco pode significar ser ignorado. Encontrar um ritmo certo é o ideal, eu costumo ficar sempre entre duas e três páginas, acho que é mais do que suficientes para passar minha ideia.
  • Repetições – Postar o mesmo conteúdo em diversas parte pode te tornar repetitivo e o que prende mesmo a atenção é um conteúdo original. Então se for publicar um texto sobre o mesmo assunto no seu blog e no seu site, procure abordar o assunto de formas diferentes.
  • Otimização – Qualquer conteúdo pode ser rastreado pelos mecanismos de busca, mas você pode facilitar isso através de tags e palavras chave no título e no conteúdo. Existem ferramentas para pesquisa de palavras chave, use-as para analisar e combinar as palavras chave do artigo com o seu objetivo.

Marketing de Conteúdo não é um bicho de sete cabeças, principalmente quando você realmente conhece a sua área de atuação, caso pretenda contratar alguém para fazer esse serviço tenha certeza de que esta pessoa saberá passar ao seu público alvo aquilo que você espera.

Separe pelo menos uma hora por semana para analisar o conteúdo a ser publicado, leia os artigos com atenção, é a sua área, sua empresa, ninguém a conhece melhor do que você.

Boa sorte e Feliz 2013!

Criando um plano de Mídias Sociais para sua empresa

Mapa-midias-sociais

Sua empresa tem um plano de Mídias Sociais? Não?

Você acredita que não seja necessário? Ou não conseguiu encontrar nada que lhe fornecesse idéias de como criar um bom plano?

Muitos empresários acabam desistindo de se envolverem nas Mídias Sociais por acharem que não funciona ou por não verem os resultados esperados, mas será que isso acontece por que toda essa “fé” no poder das Mídias Sociais é apenas ilusão ou porque eles se perdem no meio do caminho?

O erro está na não elaboração de um bom plano estratégico, a idéia em si pode ser boa, mas sem uma boa estrutura, sem compromisso, as Mídias Sociais podem se tornar inúteis.

E quando uma boa idéia não dá resultados ou quando os resultados não são o esperado, é provável que este empresário acabe culpando aqueles que dizem que as Mídias Sociais são “milagrosas”.

Bem, milagres não acontecem, mas com muito trabalho e dedicação, as Mídias Sociais podem sim alavancar uma empresa no mundo digital.

Se você já se decepcionou com os resultados de uma campanha nas Mídias Sociais, acredite você não está sozinho. Não é todo mundo que simplesmente aparece com um enorme marketing viral e se torna uma estrela das Mídias Sociais do dia para a noite.

Para nós, simples mortais é necessário muito mais do que simplesmente lançar um vídeo no YouTube para ver nossa marca criar fama no mercado.

Por isso é preciso que tenhamos um plano estratégico, um check list diário para nos guiar nesse mundo competitivo e ainda assim, novo das Mídias Sociais.

Então aqui estão alguns passos que você pode seguir e adaptar da forma que melhor servir a sua empresa.

1.       Comprometa-se

Antes de elaborar um plano é preciso que você tenha consciência de que as Mídias Sociais são como uma amante exigente, manter uma presença de destaque exige compromisso, além de ser um processo lento. Sua lista de fãs ou seguidores não vai crescer sozinha do dia para a noite.

É claro que você não quer ficar postando artigos, compartilhando notícias ou atualizando status sem ninguém se interessar, mas a persistência é a alma do negócio nas Mídias Sociais e se você perder o interesse e desistir, nunca saberá o que poderia ter conseguido através delas.

Além de ser frustrante para você mesmo, um página desatualizada, um perfil inerte, depõe contra sua empresa, então, antes de mais nada, comprometa-se.

Mesmo que seja apenas com você mesmo honre o compromisso de manter perfis e blogs atualizados.

Não importa o quanto isso possa parecer perda de tempo e não importa quanto tempo leve para você começar a ser reconhecido, comprometa-se.

2.       Pesquise

Se você está apenas começando talvez se surpreenda ao descobrir que a sua empresa, de uma forma ou de outra, já está na internet. Pode ser através de críticas ou elogios, comentários pessoais ou apenas na lista de empresas de sua região ou área.

Procure sua empresa no Google, você pode se surpreender ao encontrar muito mais dados do que jamais postou na internet.

Então pesquise, sua empresa aparece em comentários no Facebook? No Google+? No YouTube? No Twitter? Alguém deixou uma crítica registrada?

Utilize isso para iniciar um relacionamento com seu cliente, transforme a experiência ruim dele no início de um relacionamento que pode transformá-lo em um cliente fiel.

Embora o Facebook seja a estrela das Mídias Sociais, certifique-se de não ficar fora daquela onde você já tem uma presença, ainda que involuntária.

3.       Programe-se

Uma vez identificadas as Mídias que irá utilizar, é hora de traçar uma agenda de formas e frequência que vai utilizar para se envolver com seus usuários.

Participação aleatória é uma das principais razões do fracasso de muitas empresas nas Mídias Sociais.  Para ser bem sucedido é preciso que você mantenha uma frequência mínima de três vezes por semana, de preferência nos mesmos dias, já que isso força o usuário a esperar por sua próxima publicação, sabendo que na “quarta-feira” sua empresa irá publicar algo que pode interessa-lo.

Procure responder aos comentários, tweets, posts, etc., de preferência diariamente (vamos lá, isso vai te tomar apenas alguns minutos).

Estas respostas devem ser feitas diariamente, pois você pode acabar perdendo uma crítica que talvez fosse fácil de remediar se você tivesse agido com rapidez suficiente.

O Twitter, por exemplo, se move tão rápido que em uma hora um tweet pode deixar de ser relevante ou se tornar a hashtag mais comentada do momento.

4.       Crie conteúdo especializado

Fãs e seguidores não estão interessados em propaganda, querem conversa, novidades, promoções, participação. Não interessa a eles saber se sua empresa é grande ou pequena, eles já estão te seguindo e isso significa que provavelmente já conhecem a empresa e gostam dela por algum motivo.

Então fale sobre o que realmente interessa a eles, novidade do mercado, informações específicas de produtos, lançamentos, ofertas, etc.

Para isso utilize apresentações em slides, vídeos, white papers, infográficos e tudo mais que estiver ao seu alcance.

5.       Concursos e sorteios

Ah, sim, isso realmente agrada os usuários e os torna ainda mais conscientes de sua marca. Além disso, estimula o compartilhamento e diverte o cliente.

É claro que o fato de ser bom não significa que você deva fazer isso o tempo todo, mas você pode aproveitar festas específicas, feriados, períodos históricos, etc.

Experimente fazer isso uma vez a cada dois meses.

6.       Pense grande

Não recomendo, de forma alguma, que você se comprometa com diversas Mídias Sociais de uma só vez, mas é importante que, uma vez tendo estabelecido uma presença marcando em uma Mídia Social, você não fique estagnado.

Por exemplo, depois de estabelecer sua presença no Facebook, procure investir em vídeos no YouTube, iniciar uma campanha no Twitter.

Não se prenda a uma só Mídia Social, pois pode ser que ela não seja a melhor para o seu tipo de negócio. Pesquise, planeje, arrisque-se.

7.       Não se sufoque

Pronto, você conseguiu criar uma presença marcante nas Mídias Sociais, mas você administra uma empresa, certo? Não tem tempo para ficar escrevendo artigos para o blog, compartilhando coisas no Facebook, twitando no Facebook ou até mesmo monitorando as Mídias Sociais para saber o que estão falando da sua empresa.

Delegue quanto maior for o sucesso, maior será a cobrança dos clientes, então, para que não acabe sufocado pela própria fama, procure alguém que possa assumir parte das publicações e do gerenciamento de suas Mídias sociais.

Esse é o ponto crítico, pois quanto mais você cresce maior o perigo de que acabe sem tempo de se envolver o que pode acabar se voltando contra você.

E vamos combinar que Mídias Sociais dão trabalho, quem acha que é só ficar ali, lendo coisas engraçadas e jogando FarmVille não faz idéia do que é o gerenciamento de Mídias Sociais,

Então, antes que você ponha tudo a perder, procure alguém que possa assumir as tarefas mais trabalhosas como a criação de infográficos, textos ou até mesmo a parte de atendimento ao cliente.

Para isso você pode buscar alguém dentro de sua própria empresa ou contratar uma agência ou um profissional da área.

O importante é não perder o que você conquistou com tanto esforço, certo?

E então? O que você acha que é preciso para melhorar o posicionamento das empresas nas Mídias Sociais? Tem algum problema para conquistar clientes? Deixe seu comentário.

Boa Sorte!

Focando seus clientes nas Mídias Sociais

Mídias-Sociais

Como alcançar seus clientes? Em que Rede Social eles estão? Qual a melhor forma de aproveitar as oportunidades das Mídias Sociais?

Volta e meia eu falo sobre isso, insisto neste assunto porque é importante que os pequenos empresários brasileiros conheçam melhor esse maravilhoso tipo de Marketing.

Uma das coisas mais importantes ao tentar alcançar seus clientes nas Mídias Sociais é a flexibilidade, mas não adianta iniciar uma campanha sem uma estratégia específica.

Também não podemos esquecer da necessidade de continuidade, as Mídias Sociais não são como o Marketing Tradicional no qual você insere o anúncio e aguarda calmamente um resultado que possivelmente não será o esperado.

Então, caso esteja realmente interessado em construir um relacionamento com seus clientes através das Mídias Sociais, é importante ter os seguintes tópicos em mente:

  1. Faça uma lista de seus objetivos, organize-os em ordem de prioridades e siga-os de forma contínua;
  2. Analise a concorrência, não copie estratégias, isso pode se transformar em uma faca de dois gumes, uma vez que o que funciona para o seu concorrente pode não funcionar com você. Aprenda com os erros e tire proveito dos acertos, mas sempre mantendo a personalidade individual de sua empresa;
  3. Faça uma pesquisa antes de escolher a Mídia Social ideal para o seu objetivo; não vale a pena estar presente em Mídias Sociais que não lhe trarão benefícios;
  4. Ao elaborar seu conteúdo, faça-o pensando em seus clientes, não em você, o conteúdo é a forma como você vai incentivar seus clientes a agirem como você espera que ajam,
  5. Utilize ferramentas para otimizar seu tempo, se você não tomar cuidado gastará um tempo precioso nas Mídias Sociais;
  6. Se você quer obter sucesso é necessário que seja capaz de analisar seus resultados, compartilhamentos, retweets, e opções de curtir são importantes, mas você precisa de um meio para analisar isso;
  7. Faça um check list do que espera conseguir e de seus resultados para que você possa mudar de estratégia caso seja necessário;
  8. Você pode economizar tempo e dinheiro usando algumas ferramentas gratuitas, tanto de agendamento quanto de análise. Quanto ao gasto com pessoal, fica a seu critério decidir qual a melhor forma de investir;
  9. Por fim, lembre-se de que as Mídias Sociais estão em constante movimento e seus usuários esperam que você possa acompanhá-los em suas atualizações. Seja flexível e mantenha-se sempre atualizado.

É isso, espero ter ajudado com mais este post.

Boa sorte!

Uma lição de exemplo de Marketing – McDonalds

McDonalds

O texto em negrito é parte de uma matéria que foi originalmente publicada no site da Forbes.

Não é incomum, para quem trabalha com Marketing Online, ouvir frases como:

“Mas meus concorrentes não utilizam Marketing Online, porque eu deveria?”

“Porque eu deveria utilizar Mídias Sociais se nenhuma empresa da minha área se preocupa com isso”

Pois bem, se você, seu cliente, seu amigo ou seu patrão, também pensam assim, aqui vão algumas razões realmente importantes para ajudar os indecisos a pensarem de outra forma.

Talvez você não esteja olhando muito longe para fazer comparações, então aqui vai um exemplo que pode convencer você:

O McDonalds (sim, a enorme e “sem necessidade de apresentações ou publicidade” cadeia de lanchonetes) lançou no Canadá um programa chamado “Suas perguntas, nossa comida”.

Lançado em junho o programa convida qualquer canadense a fazer qualquer pergunta sobre qualquer comida do McDonalds.

Para fazer a pergunta, os participantes precisam se conectar ao Twitter ou Facebook da empresa, proporcionando assim visibilidade social e um tipo de efeito viral.

Até agora, mais de 16 mil perguntas foram enviadas (cerca de 400 perguntas por dia) e quase 10 mil foram respondidas. Já imaginou responder a 10 mil perguntas?

O programa gira em torno da comida do McDonalds, então perguntas sobre temas não-alimentares são direcionadas para outras áreas, sem contar que algumas perguntas são repetidas.

É claro que existem perguntas difíceis, por exemplo, a pergunta de S. Jani, da Nova Escócia:

“Quando vocês dizem 100% de carne querem dizer a vaca inteira? Os órgãos, focinho, cérebro, rins, etc., ou apenas o tipo de carne que compramos no supermercado?”

Pergunta complicada… Não é novidade que a maior parte das empresas, principalmente do ramo alimentício, preferem se manter bem longe de questões polêmicas.

No entanto, atualmente, as regras estão mudando.

Aqui está a resposta do MacDonald:

“Oi Jani. Nós não chamaríamos isso (órgãos, cérebro, rins) de carne comum, mas com certeza é carne. Nós só usamos corte de carne do ombro, peito, lombo, etc. Na verdade, nosso fornecedor de carne bovina é a Cargill, um nome que você provavelmente reconhece. São os maiores fornecedores de carne bovina no Canadá.”

A estratégia de Marketing do MacDonald sem dúvida pode trazer perguntas constrangedoras, no entanto ninguém pode negar que é cativante para o consumidor.

Não se trata de precisar de publicidade ou não, mas de agradar o consumidor de uma forma inovadora. Seja de que ramo você for, acredito que pode calcular o impacto desse programa.

Na verdade implementar campanhas diferentes, que ofereçam ao invés de pedirem, é a melhor forma de conquistar o consumidor, muitos profissionais de Marketing ainda se apegam a idéia de que o que importa é levar o consumidor a agirem de acordo com a vontade da empresa, mas isso está ficando cada vez mais difícil hoje em dia.

Que tal se ao invés de você esperar que seu cliente curta sua página no Facebook ou siga você no Twitter, você inverter o processo? Siga-o e ele vai se sentir estimulado a seguir você, ofereça a ele um estímulo para que curtir sua página seja algo vantajoso para ele.

Descontos, brindes e até mesmo respostas a perguntas constrangedoras, serão, com certeza, um ótimo estímulo.

Ao solicitar a um cliente que curta sua página, lembre-se de informar a ele que assim ele poderá participar de promoções, receber ofertas e até mesmo tirar dúvidas a respeito de seus produtos. Isso, sim, é uma forma de estímulo.

Então, se você ainda pensa que só porque os seus concorrentes diretos não estão utilizando o Marketing Online, você também não precisa fazer isso, repense e depois… Pense novamente.

Boa sorte!

Política é uma questão de “Gostar”

botão-de-Curtir

Passadas as eleições, brasileiras e americanas, eu gostaria de fazer uma breve análise sobre o marketing político e os eleitores.

Fato 1

Sim, “gostar” é o principal ponto de uma eleição. As eleições não são baseadas em fatos, porque na verdade, se formos analisar bem, “fatos” não existem em uma eleição.

Não existem fatos, mas ainda assim os eleitores escolhem seus lados.

Enquanto os políticos se dividem e culpam uns aos outros, os eleitores buscam outras formas de saber da verdade, de buscar informações…

Mas no final das contas todos chegam à mesma conclusão:

Fatos políticos não são confiáveis porque eles podem ser tendenciosos e estarem focados em lógica, mas, na política, quando razão e emoção batem de frente, invariavelmente a emoção ganha.

Na verdade, nós construímos relacionamentos, fazemos negócios e até votamos em pessoas que nós “gostamos”.

Fato 2

“Gostar” cria conexões pessoais que inspiram ações.

Por isso políticos continuam beijando criancinhas e aparecendo em comícios.

A empatia, explica porque algumas pessoas são mais “gostáveis” que outras.

Por isso em toda eleição o candidato que inspira mais “ações” são vencedores.

Não é apenas uma questão de honestidade, caráter, acessibilidade. Alguns políticos são posicionados de tal forma que as pessoas simplesmente sabem que precisam votar nele.

Seja a questão de “o melhor dos piores”, seja porque “já o conhecemos e sabemos do que ele é capaz”, existem milhares de motivos para que o eleitor simplesmente vote em um determinado candidato.

Você já deve ter ouvido “gosto desse cara, vou votar nele”.

Ou a eterna brincadeira do “Cara, se você fosse candidato eu votava em você!”

A verdade é que para conquistar nosso voto, alguns políticos precisam apenas estar em contato conosco.

Mas o que faz com que esses políticos se tornem tão “gostáveis”?

Vamos tomar como exemplo os candidatos à presidência dos Estados Unidos, Barak Obama e Mitt Romney.

Pequenas imagens que explicam de forma inegável porque Barak Obama foi reeleito presidente.

Romney1

Obama1

Romney2

Obama2

Romney4

Romney5

Obama5

Romney6

Obama6

Não é apenas isso, claro, é muito mais fácil trabalhar com um candidato com qualidade de vencedor do que com um candidato que naturalmente antipatiza o eleitor.

De qualquer forma, nada impede um candidato de se tornar “gostável” para as eleições de 2014.

No entanto eu aconselharia esse candidato a começar ainda hoje sua campanha, pois ninguém tem menos credibilidade do que um político que da noite para o dia tenta ser simpático e atencioso.

É isso, por enquanto vamos deixar a política em estado de observação.

Boa sorte aos eleitores e que vocês não tenham nenhum arrependimento ao fim desses próximos quatro anos.

Twitter batendo recordes na política

ELEIÇÕES-2012

No debate de ontem entre os candidatos à presidência dos Estados Unidos, o Twitter bateu recorde.

Foram mais de 10.3 milhões de tweets.

No Brasil a política online, embora tenha melhorado consideravelmente, com candidatos levando a sério sua proposta de interagir com os eleitores nas Mídias Sociais e expor suas propostas de forma clara, ainda falta muito para chegarmos ao nível das eleições americanas.

Vamos aguardar para ver nossas eleições presidenciais.

No último mês o Presidente Obama bateu um recorde atingindo 52.757 tweets durante um discurso na Convenção Nacional dos Democratas, o debate de ontem bateu todos os recordes já conhecidos na história da política americana.

O candidato Mitt Romney conseguiu uma façanha ao afirmar, durante o debate, que amava o Big Bird (para quem não se lembra ou nunca conheceu, o candidato se referia ao Garibaldo, na versão americana de Vila Sésamo).

Garibaldo rapidamente se tornou a estrela do Twitter com cerca de 17.000 tweets por minuto.

A participação do público, dos eleitores, na política americana é digna de nota e poderia, e pode, se tornar um exemplo para as eleições presidenciais do Brasil.

Encerrando a campanha de 2012, observei atentamente os perfis, sites, vídeos e todos os tipos de Marketing Político Digital e continuo convencida de que a maioria das campanhas de marketing de prefeitos dos municípios com menos de 500 mil eleitores foi desenvolvida por profissionais de marketing não especialistas em Marketing Digital.

As diversas campanhas primárias e que foram de irritantes (com divulgação excessiva de imagens, como o excesso de santinhos que esses candidatos devem utilizar nas campanhas tradicionais, poluindo as redes sociais, estressando e gerando antipatia no eleitor) a absolutamente ineficientes, como um ou outro comentário por parte dos “candidatos” e absoluto silêncio por parte dos eleitores.

Em uma segunda análise, acredito que estamos aprendendo, estamos seguindo a passos lentos, mas, eu tenho fé na capacidade brasileira de superar a maioria do resto do mundo, uma vez que se interesse por um determinado assunto.

Para 2014, desejo boa sorte aos candidatos e lembro que eleições estaduais e federais precisam de muito mais do que os profissionais de marketing político tem mostrado até agora para tornar uma campanha vitoriosa.

Que venha 2014 então.

Aos futuros prefeitos e vereadores:

Meus votos de boa sorte

Aos eleitores:

Votem com consciência para não se arrependerem depois.

A todos.

Boa sorte!