E-mails para marketing, como não ser chato

email

A velha, boa e chata mala direta pode ter caído em desuso mas os e-mails marketing estão por aí, enchendo nossas caixas de entradas (ou caixas de spam) com propagandas, ofertas, promoções, conselhos e dicas de todos os tipos.

Atualmente, para evitar a perseguição a seus tão estimados usuários, e-mails como o G-mail classificam por conta própria o que é e-mail e o que é spam (lixo eletrônico).

É claro que você não quer que o seu e-mail seja classificado como “lixo”, certo?

Então, como evitar que coisas assim aconteçam?

Um e-mail marketing não é apenas o texto que você escreve, mas um conjunto de itens que farão com que ele seja ou não classificado como “lixo”.

Vejamos:

  • Assunto;
  • Opção de cancelamento;
  • Otimização;
  • Texto alternativo;
  • Cópia e copia carbono;
  • Layout

A maioria dos e-mail possuem pelo menos um erro dentre essas opções, o que fatalmente os vai encaminhar direto para a caixa de Spam, o limbo dos e-mails.

Para criar um e-mail marketing bem elaborado você precisa ter em mente uma coisa muito importante:

  • Existem palavras que imediatamente classificam seu e-mail como Spam.

Sério, os mecanismos de e-mail possuem uma lista de palavras chave que identificam o e-mail como publicidade e automaticamente direcionam o e-mail para a caixa de Spam.

Veja uma lista dessas palavras AQUI

Consulte a lista e use seu discernimento para evitar que seus e-mail não sejam sequer visualizados pelos seus clientes.

E-mails que utilizam imagens, na maioria das vezes se não forem para a caixa de Spam, as imagens são bloqueadas, o que significa que o usuário terá que desbloqueá-las caso queira visualizá-las.

Cabe a você decidir se vale a pena arriscar.

Caso espere que o seu cliente clique em algum lugar, sugiro que evite imagens como botões “Clique Aqui” eles podem ser bloqueados e a pessoa acaba ficando sem saber onde tem que clicar.

Utilize sentenças curtas na caixa de “assunto”, com não mais de 70 caracteres. Isso ajuda a passar pelo filtro de Spam.

Caso sua intenção seja que o e-mail seja visualizado em dispositivos móveis, o “assunto” deve ser ainda menor, no máximo 20 caracteres.

Outro detalhe importante é saber a partir de onde você está enviando o e-mail, se pelo e-mail de sua empresa ou seu e-mail pessoal, sim, faz diferença, mas se você decidir que prefere enviar pelo seu e-mail pessoal, certifique-se de que o destinatário saiba quem é você, para não confundi-lo.

Alguns e-mail de empresas são realmente interessantes e fazem você querer entrar em contato com eles, esse é o seu objetivo, certo? Você quer que o seu destinatário sinta que você pode fazer algo por ele, mas, se no momento em que ele clicar em “responder” o seu e-mail aparece como cristinatopatodas@somosmelhores.com.br, toda a seriedade do assunto, toda a confiança que você conquistou, vai por água abaixo.

Mais uma coisa: Quando for elaborar sua mensagem de e-mail utilize parágrafos curtos, sentenças fortes e evite se estender demais no assunto. Use tópicos se for o caso, facilita a leitura dinâmica e as pessoas não tem muita paciência para ler na internet.

Por fim e mais importante: Use a opção “CCO – Cópia Carbono Oculta”, não existe nada pior do que abrir um e-mail e ver uma lista de centenas de outras pessoas que receberam as mesmas mensagens, sem contar que isso ajudar a aumentar o risco de vírus E Spams.

Boa sorte!

Posts Relacionados:

Dicas para promover o seu site

Pequenas Empresas… Não cometam estes erros.

Empresas / prestadores de serviço e as Mídias Sociais

Promova sua pequena empresa

Anúncios

Sua Página de Conversão contém erros?

Você decidiu criar uma Landing Page (Página de Conversão), pois todos os sites sobre otimização afirmam que é uma das melhores formas para converter visitantes em leads (possíveis clientes) e leads em clientes.

Mas… Ela não está funcionando como disseram que funcionaria!

Será que isso é só mais uma conversa fiada?

Na verdade as Landing Pages são, comprovadamente úteis em um site, seja para que os visitantes deixem seus e-mails cadastrados (isso será útil no futuro para o e-mail marketing), seja para eles conhecerem algo que você disponibiliza no seu site ou para comprar.

A verdade é que elas foram criadas para estimular o usuário a agir da forma como você deseja, mas não basta criar uma e colocá-la no seu site, é preciso que você tenha certeza de que ela irá realmente funcionar.

Como?

Em primeiro lugar experimente pensar como o usuário. Se sua Landing Page não atrai você, com certeza não atrairá outras pessoas.

1 – Verifique se há em sua Landing Page uma palavra ou frase de efeito, aquela frase que vai atrair a atenção do visitante.

Por “atenção” entenda: Interesse, curiosidade, cobiça ou confiança.

Esta é a frase/palavra que vai levar o visitante a pensar duas vezes antes de fechar a página.

2 – Não descarte a possibilidade de estar confundindo seu visitante.

Uma Landing Page deve conter apenas uma escolha de ação, qualquer coisa, além disso, vai confundir o usuário. Então, se o seu objetivo é vender, tenha apenas um botão “compre agora”.

Não tente pedir que o usuário compre e se cadastre na mesma ação, ele pode acabar desistindo de ambas as ações apenas por se sentir acuado ou indeciso.

3 – Tenha certeza de que o seu visitante não está confundindo sua Landing Page com o resto do site.

Você não quer isso, com certeza, então, se sua Landing Page apresenta um visual semelhante ao do seu site. Modifique-o.

Se as cores do seu site variam entre azul, roxo e cor de rosa (eu sei, ninguém utilizaria esta combinação para um site, mas nunca se sabe…), então utilize cores diferentes, como laranja, verde e amarelo.

Assegure-se de que seu visitante saberá que aquela é a página onde ele deve “agir”.

4 – Ainda com relação ao layout, não se esqueça de que tudo em excesso é prejudicial, então, na hora de escolher texto + cores + fotos + formulário + botão de ação, procure evitar qualquer tipo de poluição visual.

Além de também confundir o usuário, pode acabar estressando ele e levando-o a fugir correndo.

5 – Retire quaisquer links para outras páginas ou sites. O objetivo é que o usuário responda a ação desejada, não que ele se distraia.

6 – Certifique-se de que a imagem, caso aja alguma, não seja mais envolvente que a chamada de ação. Se a imagem tiver legenda, que seja relacionada de forma clara e objetiva à ação desejada.

7 – Botões de Redes Sociais. Eles são realmente necessários à ação que você deseja, ou estão apenas servindo como pontos de fuga?