SEO em e-commerce começa da base

Postado por SEO em E-commerce

SEO em e-commerce começa da base

É comum as pessoas deixarem o SEO em e-commerce como uma das últimas ações de um projeto de e-commerce, como se fosse apenas um ajuste fino na conclusão do projeto. Esse é um erro que pode comprometer todo o desempenho da estratégia de SEO. Para se conseguir um sistema que consiga atingir boas posições nas páginas de respostas do Google é preciso pensar no trabalho de otimização para ferramentas de busca desde a etapa de planejamento da loja virtual.

Muitas vezes em nossa consultoria recebemos lojas virtuais que simplesmente parecem casos perdidos de SEO, principalmente nas plataformas de e-commerce mais antigas, simplesmente porque não houve um trabalho de Arquitetura de SEO na etapa de planejamento. Em nosso roteiro para criação de lojas virtuais que fornecemos aos participantes do nosso curso Como Montar Uma Loja Virtual, chamamos atenção para esse aspecto do projeto, pois sabemos o que pode ocasionar no processo de SEO em e-commerce.

As dificuldades do SEO no e-commerce

Fazer SEO para e-commerce é um desafio para qualquer profissional de marketing de busca, pois sabemos que a própria estrutura de uma loja virtual não nos permite lançar mão de alguns recursos. Não é como em um blog que podemos fazer diversas variações para aplicarmos o maior número de técnicas de SEO possível. As lojas virtuais são mais rígidas em suas formatações e por isso mesmo temos que aproveitar qualquer chance para tentar melhorar o desempenho do SEO em e-commerce.

A própria estrutura da loja virtual pode funcionar como uma das melhores ferramentas de SEO nessa hora. Como um dos fatores de rankeamento é a estrutura das URLs, porque não utilizar elas a nosso favor?

Um dos primeiros passos para isso é a própria estrutura de navegação da loja e o relacionamento entre departamentos e páginas de produtos. É o planejamento dos Links Internos, uma das mais importantes partes de um projeto de SEO.

 

Planeje departamentos e seções para ajudar o SEO em e-commerce

Na etapa de planejamento da loja, vamos inserir logo no início a orientação para construção da arquitetura de informação de forma a facilitar o trabalho de SEO das páginas de detalhes de produtos. Esse planejamento já começa na estrutura dos departamentos da loja, que sempre que possível, trabalham como um “caminho” para a palavra-chave principal da página de detalhe de produtos. O SEO em e-commerce começa por ai, na base do planejamento, transformando a própria árvore de departamentos em um canal de SEO.

Em nosso curso de SEO comento que otimização de sites é arte e estratégia. O planejamento das ações é peça fundamental para o sucesso nessa área.  Deixar os aspectos técnicos do SEO para serem discutidos no final do projeto, é desperdiçar ferramentas poderosas para a batalha de conquista das primeiras posições do Google.

Além do planejamento da árvore de departamentos da loja, é preciso estabelecer um padrão de redação para produtos, regras para estrutura de URLs e planejamento dos links internos para evitar o desperdício de Link Juice. É, um projeto de SEO para e-commerce dá realmente muito trabalho desde o início.

O trabalho de SEO não é nada fácil, mas quando de fala em SEO para comércio eletrônico, a questão fica um pouco pior. Por isso, lembre-se que SEO no e-commerce se faz da base.

Anúncios

O que é o Google Shopping?

Ainda pouco divulgada esta é a nova ferramenta do Google para pesquisa e comparação de preços de produtos oferecidos em e-commerce.

Como o BuscaPé, o Google Shopping oferece uma comparação de preços de lojas virtuais em todo Brasil. È um índice de produtos dos comércios eletrônicos, disponível para os usuários.

Apesar de ser recém lançada, o lançamento oficial no Brasil foi na semana passada, esta não é uma ferramenta nova no Google.

Entre os Estados Unidos e a Europa, o Google Shopping já conta mais de 1 bilhão  de produtos e 200 milhões de varejistas cadastrados.

Esta nova ferramenta tem tudo para se tornar uma nova mania para os usuários que gostam de fazer pesquisas de preço no internet.

Aqui, ainda no início, O Google Shopping já conta com 200 mil empresas cadastradas, incluindo grandes varejistas como o Carefour, Ponto Frio e Marisa.

Para as pequenas empresas essa pode ser apenas mais uma ferramenta de venda, para os usuários uma nova forma de pesquisa de preços, mas para sites como o Shopping UOL e o BuscaPé, com certeza será uma pedra no sapato.

O Yahoo! Search e o Bing que o digam!

O sistema é praticamente o mesmo, mas com a qualidade de tudo que leva a marca Google Inc.

O cadastro é gratuito. Isso mesmo, gratuito!

E, (não querendo puxar a sardinha para o meu lado) a classificação dos resultados de busca seguirá os padrões do Google Search, ou seja, dependera principalmente da velha e boa Otimização.

Relevância, palavras-chave, etc.

Se você é proprietário de uma loja virtual e está lendo este post… O que falta para correr e cadastrar sua loja?

Ah sim! Clique neste link e comece agora mesmo!

http://www.google.com.br/intl/pt-BR_br/products/submit.html

Boa sorte!

Os 5 maiores erros em uma Loja Virtual

As vendas Online são atualmente um mercado em plena expansão, um comércio acessível no qual o consumidor começa a criar mais confiança.

Muitas vezes ouvi pessoas dizerem que tinham medo das compras online, que temiam a clonagem de seus cartões de crédito, que não confiavam nessa história de que eles não usariam seus dados depois…

Tudo isso está ficando cada vez mais para trás. Muita gente que não confiava em e-commerce começa a preferir a comodidade das compras online ao movimento dos shoppings.

Como aproveitar essa fatia do mercado da melhor forma possível?

Uma loja virtual significa uma filial aberta 24 horas por dia, sem gastos com vendedores.

As vendas online permitem que você aumente a sua área de vendas de um bairro ou uma cidade, para um estado, país ou para o mundo e isso em termos de conquista de novos clientes, não tem preço.

Mas montar uma loja virtual exige certos cuidados que vão muito além de ter um ícone de um carrinho de compras no canto superior direito do seu site.

Acreditar nisso é o primeiro erro que a maioria dos proprietários de lojas tradicionais comete.

Aqui estão alguns erros que você pode facilmente consertar, caso já tenha uma loja virtual, ou evitar cometer se estiver pensando em criar uma.

1 – Dificultar ou não facilitar o processo de contato entre o usuário e o site

Como citei antes, muitos usuários temem fazer compras online, pois uma vez que fornecem seus dados pessoais estão vulneráveis. Neste caso é ideal que você faça com que o usuário saiba que, caso haja algum problema, ele poderá entrar em contato e conversar com alguém.

Se as suas informações de contato não estiverem visíveis o bastante para deixa-lo confortável, ele pode acabar desistindo da compra.

Caso este seja o caso da sua loja virtual, inclua rapidamente as informações de contato ou coloque-as em um local onde os usuários possam identificar com facilidade. Coloque telefone, mesmo que não seja 0800, e-mail e, se possível, um sistema de atendimento online.

Quanto mais o usuário se sentir confortável, maior as chances dele, não só comprar o produto, como voltar mais vezes.

2 – Informações sobre o produto

Já falei sobre isso no post “Conteúdo, porque isso é tão importante?”, mas não custa insistir. O conteúdo é a principal ferramenta que você tem para apresentar o produto. Uma vez que o usuário não tem a chance de tocar, mover e até testar o produto, assim como não tem um vendedor para lhe explicar todas as vantagens da compra, é necessário que você ofereça uma descrição completa do produto.

Informe todas as configurações, cores, tamanho, peso, novas tecnologias, utilize frases do Manual de Instruções, se necessário, apenas não se esqueça de tornar o produto atraente além de técnico.

3 – Não dificulte a vida de seu cliente

Isso é um erro que muitas empresas cometem, tornam o processo de compra tão tedioso e longo que muitas vezes o comprador desiste no meio da compra.

Ninguém gosta de esperar em um fila para pagar por um produto e o processo demorado de finalização de compra se assemelha àquela fila de lojas em época de Natal.

Eu mesma já desisti de comprar um produto por causa disso e nem era culpa só do site, mas da conexão.

Então se você tem ou está pensando em colocar um processo longo de compra, esqueça. Opte pelo simples e rápido, suas chances de venda aumentarão consideravelmente.

4 – Sistema de busca interna

Se eu sei o que quero e não me refiro apenas a “uma barra de chocolate”, mas a “uma barra de chocolate recheado com cereja da Lindt”, espero poder acessar a busca do site, digitar o que quero e receber exatamente o que pedi.

Sendo assim, evite me oferecer tudo o que você tem cadastrado como “barra de chocolate” “cereja” e “Lindt”. E, principalmente, não me ofereça um filme chamado A Fantástica Fábrica de “Chocolates” ou o DVD da novela “Chocolate” com Pimenta.

Procure manter um sistema de busca prático e facilite a vida do seu usuário através de filtros de pesquisa.

5 – Frete

Uma das coisas que mais desestimula um cliente na Web é o custo abusivo de frete em algumas lojas virtuais. É claro que é um custo às vezes alto para a loja assumir sozinha, mas será mesmo preciso, o que parece ser o caso de alguns sites, tentar obter lucro através do custo do frete também???

Sim porque a empresa de correios é uma só (caso a loja não usa transportadora, é claro) então, neste caso como pode um site cobrar uma taxa de R$ 15,00 e outro cobrar R$ 36,00 pelo mesmo produto, mesmo sistema de envio e etc.?

O ideal também é você ter um sistema de cálculo de frete em sua loja, para que a pessoa saiba o que está pagando e quanto isso custará.

E, lembre-se, as grandes lojas estão sempre com promoções de frete grátis, principalmente para a região sudeste onde a quantidade de consumidores é maior. A concorrência aí é grande.

Por último mas não menos importante:

Não peça que o seu usuário cadastre os dados dele antes que ele tenha decidido pela compra, é claro, seria bom que este usuário deixasse seus dados para futuro contato, mas nesse caso, o que importa mais? Vender ou obter dados para um futuro e-mail marketing?

Conteúdo, porque isso é tão importante?

Montar o conteúdo de um site não é tarefa fácil.

Algumas pessoas podem pensar: Porque não? Basta descrever o produto, certo?

Errado.

O conteúdo não serve apenas para “descrever” um produto, isso qualquer pessoa que leia o manual de instruções pode fazer muito bem.

O objetivo do conteúdo de um site é “vender” o produto, torná-lo mais atraente para o visitante, não apenas descrevê-lo.

Existem formas e “formas” de descrever um produto.

Então vamos lá, vejamos algumas diferenças:

“Sony Cyber-shot DSC-WX7. Imagens em 3D, gravação de filmes em Full HD (AVCHD) para reprodução em TVs de alta definição e fotos panorâmicas em 2D e 3D para capturar todo o horizonte. E tudo de maneira muito simples”.

“Redesenhada recentemente com uma silhueta sofisticada, em cinco cores excitantes, a câmera digital Cannon PowerShot A3300 IS possui todo o poder que você precisa para capturar a sua vida do seu jeito”

“A câmera digital Sony Cyber-shot foi feita para quem adora fotografar, mas também quer marcar presença. Disponível nas cores prata e violeta, desenvolvidas exclusivamente para o Brasil”.

Vamos ignorar o primeiro anúncio, certo? Ele só está aí só para te lembrar a forma como você vem expondo os seus produtos atualmente.

Agora, qual das duas descrições lhe parece mais atraente? Por quê?

Embora a apresentação da Sony seja clara e precisa, até mesmo sugestiva, o texto da Cannon é, sem dúvida alguma sedutor.

É até engraçado pois o início do texto, apesar de um clara alusão de que não é um modelo novo, mas uma nova versão, os termos, silhueta sofisticada, cores excitantes, a sua vida do seu jeito brincam com a imaginação do visitante, despertam a vontade de comprar um produto tão atraente.

Isso é o que um bom conteúdo faz por você e seu produto.

Elaborar o conteúdo de um site não é se sentar na frente do seu computador e contar a historia da sua empresa, ou copiar manuais de instruções.

Como eu já disse antes, é o conteúdo que vai fazer com que os visitantes do seu site se tornem algo mais, é o conteúdo que vai seduzi-los ou afastá-los.

Por isso é tão importante saber exatamente o que fazer ao criar ou renovar um site.

Conteúdo é a alma do negócio, é o seu vendedor do mês, é seu cartão de visitas e cartaz de boas vindas.

Ignorar a importância do conteúdo e sobrecarregar o seu site com imagens dos produtos é um erro comum que muitos proprietários de lojas virtuais cometem.

A maioria dos proprietários de lojas não virtuais, compram os produtos, se certificam de que os mesmos estão expostos de forma adequada, de que os vendedores conhecem os produtos e pronto.

Em lojas virtuais a ausência dos simpáticos e alegres vendedores deve se compensada pelo conteúdo de texto que vai seduzir o visitante exaltando as qualidades do produto e não apenas descrevendo-as.