4º P – Produto/Candidato

Leia este post AQUI

Leia também:

Os 4 Ps no Marketing Político Digital

1º P – Possibilidades

2º P – Percepção

3º P – Planejamento

Política é uma questão de “Gostar”

botão-de-Curtir

Passadas as eleições, brasileiras e americanas, eu gostaria de fazer uma breve análise sobre o marketing político e os eleitores.

Fato 1

Sim, “gostar” é o principal ponto de uma eleição. As eleições não são baseadas em fatos, porque na verdade, se formos analisar bem, “fatos” não existem em uma eleição.

Não existem fatos, mas ainda assim os eleitores escolhem seus lados.

Enquanto os políticos se dividem e culpam uns aos outros, os eleitores buscam outras formas de saber da verdade, de buscar informações…

Mas no final das contas todos chegam à mesma conclusão:

Fatos políticos não são confiáveis porque eles podem ser tendenciosos e estarem focados em lógica, mas, na política, quando razão e emoção batem de frente, invariavelmente a emoção ganha.

Na verdade, nós construímos relacionamentos, fazemos negócios e até votamos em pessoas que nós “gostamos”.

Fato 2

“Gostar” cria conexões pessoais que inspiram ações.

Por isso políticos continuam beijando criancinhas e aparecendo em comícios.

A empatia, explica porque algumas pessoas são mais “gostáveis” que outras.

Por isso em toda eleição o candidato que inspira mais “ações” são vencedores.

Não é apenas uma questão de honestidade, caráter, acessibilidade. Alguns políticos são posicionados de tal forma que as pessoas simplesmente sabem que precisam votar nele.

Seja a questão de “o melhor dos piores”, seja porque “já o conhecemos e sabemos do que ele é capaz”, existem milhares de motivos para que o eleitor simplesmente vote em um determinado candidato.

Você já deve ter ouvido “gosto desse cara, vou votar nele”.

Ou a eterna brincadeira do “Cara, se você fosse candidato eu votava em você!”

A verdade é que para conquistar nosso voto, alguns políticos precisam apenas estar em contato conosco.

Mas o que faz com que esses políticos se tornem tão “gostáveis”?

Vamos tomar como exemplo os candidatos à presidência dos Estados Unidos, Barak Obama e Mitt Romney.

Pequenas imagens que explicam de forma inegável porque Barak Obama foi reeleito presidente.

Romney1

Obama1

Romney2

Obama2

Romney4

Romney5

Obama5

Romney6

Obama6

Não é apenas isso, claro, é muito mais fácil trabalhar com um candidato com qualidade de vencedor do que com um candidato que naturalmente antipatiza o eleitor.

De qualquer forma, nada impede um candidato de se tornar “gostável” para as eleições de 2014.

No entanto eu aconselharia esse candidato a começar ainda hoje sua campanha, pois ninguém tem menos credibilidade do que um político que da noite para o dia tenta ser simpático e atencioso.

É isso, por enquanto vamos deixar a política em estado de observação.

Boa sorte aos eleitores e que vocês não tenham nenhum arrependimento ao fim desses próximos quatro anos.

Twitter batendo recordes na política

ELEIÇÕES-2012

No debate de ontem entre os candidatos à presidência dos Estados Unidos, o Twitter bateu recorde.

Foram mais de 10.3 milhões de tweets.

No Brasil a política online, embora tenha melhorado consideravelmente, com candidatos levando a sério sua proposta de interagir com os eleitores nas Mídias Sociais e expor suas propostas de forma clara, ainda falta muito para chegarmos ao nível das eleições americanas.

Vamos aguardar para ver nossas eleições presidenciais.

No último mês o Presidente Obama bateu um recorde atingindo 52.757 tweets durante um discurso na Convenção Nacional dos Democratas, o debate de ontem bateu todos os recordes já conhecidos na história da política americana.

O candidato Mitt Romney conseguiu uma façanha ao afirmar, durante o debate, que amava o Big Bird (para quem não se lembra ou nunca conheceu, o candidato se referia ao Garibaldo, na versão americana de Vila Sésamo).

Garibaldo rapidamente se tornou a estrela do Twitter com cerca de 17.000 tweets por minuto.

A participação do público, dos eleitores, na política americana é digna de nota e poderia, e pode, se tornar um exemplo para as eleições presidenciais do Brasil.

Encerrando a campanha de 2012, observei atentamente os perfis, sites, vídeos e todos os tipos de Marketing Político Digital e continuo convencida de que a maioria das campanhas de marketing de prefeitos dos municípios com menos de 500 mil eleitores foi desenvolvida por profissionais de marketing não especialistas em Marketing Digital.

As diversas campanhas primárias e que foram de irritantes (com divulgação excessiva de imagens, como o excesso de santinhos que esses candidatos devem utilizar nas campanhas tradicionais, poluindo as redes sociais, estressando e gerando antipatia no eleitor) a absolutamente ineficientes, como um ou outro comentário por parte dos “candidatos” e absoluto silêncio por parte dos eleitores.

Em uma segunda análise, acredito que estamos aprendendo, estamos seguindo a passos lentos, mas, eu tenho fé na capacidade brasileira de superar a maioria do resto do mundo, uma vez que se interesse por um determinado assunto.

Para 2014, desejo boa sorte aos candidatos e lembro que eleições estaduais e federais precisam de muito mais do que os profissionais de marketing político tem mostrado até agora para tornar uma campanha vitoriosa.

Que venha 2014 então.

Aos futuros prefeitos e vereadores:

Meus votos de boa sorte

Aos eleitores:

Votem com consciência para não se arrependerem depois.

A todos.

Boa sorte!

O que falta em sua campanha?

Eleições 2012

Se o que está faltando são dicas,  selecionei mais algumas para você aproveitar:

Vídeos

É claro que se for profissional, melhor, mas pode ser amador, o importante no vídeo não é a qualidade dele e sim a qualidade do conteúdo. Faça seu candidato falar de maneira informal, sorrir, cativar a audiência e, pronto, você terá o vídeo ideal.

O Youtube não tem limites de quantidade de vídeos por conta, então faça quantos quiser, divulgue em todas as Redes Sociais e aguarde o resultado, você vai ficar surpreso.

Torpedo de Voz

Algumas empresas possuem sistema automatizado de torpedo de voz. Esse sistema é um dos melhores pois se trata de uma comunicação direta entre eleitores e candidatos.
SMS

Não precisa de muito, apenas seu nome e número de candidato
Telemarketing
Quem pensa que não precisa fazer campanha entre os amigos, está enganado, procure montar uma boa agenda de telefones do seu candidato e depois faça uma rápida campanha por telefone.
E-mail-marketing
A velha mala direta também funciona bem, neste caso resuma o plano de governo do candidato, inclua algumas imagens do município.
Procure usar tópicos, para não desestimular o eleitor, o uso de imagens gera interesse, então procure algumas para enfatizar o assunto, mas não coloque imagens aleatórias, nem mais de uma foto do candidato. Não se esqueça o número e o slogan.
Surveys – Pesquisas de opinião
Pesquisas te ajudam a montar estratégias. Não adianta oferecer algo que os eleitores não tem interesse em conseguir. Não vai ajudar em nada se o seu candidato se dispuser a construir uma escola em uma região com sérios problemas de saneamento.
E então, faltou alguma coisa? Comente!
Boa sorte!

Marketing? Político…

Marketing Político

Tenho visto alguns sites e blogs de candidatos que me deixam de cabelos em pé.

Acredito que a maioria dos candidatos acreditaram que a gestão das mídias na internet eram perda de tempo, ou provavelmente que a coisa é tão fácil que eles ou filhos e amigos, podem administrar isso.

O que nos sobrou foi uma falta de originalidade bárbara.

Não vou citar links nem nomes de candidatos, se vocês quiserem é só procurar.

Mas… Certo, o foco desse blog são os políticos de cidades pequenas, o Brasil afastado das luzes da ribalta.

Afinal, eu mesma sou de uma cidade pequena, mas em que isso muda?

Os profissionais de marketing dos municípios com menos de 50 mil habitantes acreditam mesmo que estão prestando um serviço a seus candidatos ao ignorarem a internet? Espero que não.

Vi um blog de candidato, amador, mas razoável, uma iniciativa própria, por tanto, muito boa.

Para aqueles que estão gerenciando campanhas e para os candidatos que acreditam que a internet não vale a pena, aqui está o link do vídeo do candidato do PSOL à prefeitura do Rio de Janeiro.

Senhores, assistam e aprendam.

Marcelo Freixo

Boa sorte!