Técnicas de Gerenciamento de Reputação Online

técnicas-ninja

Não é preciso muito para que sua reputação online fique manchada, como já falei sobre isso no post: “Reputação Online, você está preocupado? Deveria…”

Uma única foto ou comentário feito por um concorrente ou um cliente insatisfeito pode causa danos à sua reputação e acabar prejudicando você de uma forma inesperada.

O Gerenciamento de reputação online pode ser uma coisa frustrante e difícil, ficar monitorando os resultados dos mecanismos de pesquisa, utilizando técnicas de SEO para fazer com que esses resultados desapareçam da primeira página…

Mas, embora seja um trabalho que exige tempo, cada passo vale a pena se isso proteger sua reputação, certo?

Então aqui vão algumas dicas do que fazer:

Mídias Sociais

Você com certeza precisa de perfis nas Mídias Sociais, mesmo que seja apenas para defender sua reputação, responder a comentários ou críticas e atender clientes insatisfeitos antes que sua insatisfação se torne um problema para você.

Meu conselho é que você não saia se cadastrando em todas as Mídias Sociais disponíveis, primeiro porque você, sinceramente, não terá tempo para administrar todas elas de forma satisfatória, segundo é realmente uma questão de qualidade x quantidade.

Concentre-se nas Mídias que você conhece e que sabe que seus clientes, concorrentes ou futuros empregadores estarão. LinkedIn, Twitter, Youtube e Facebook são boas escolhas.

A questão é lembrar que apenas possuir um perfil não fará diferença nenhuma, você precisa estar realmente ativo, além de fazer um bom monitoramento para evitar que quaisquer comentários que o desabone passe despercebido.

Conteúdo de qualidade, comentários, repostas a questionamentos, conquista de links, a questionamentos, conquista de links, tudo isso toma tempo e quanto mais perfis você tiver, mais fácil será ignorar um deles por falta de tempo, o que pode acabar sendo prejudicial.

Resumo biográfico

Fale sobre si mesmo antes que outros o façam. Disponibilize um resumo de sua biografia, blog, eventos, prêmios conquistados.

Não se limite a textos, insira vídeos, links para o seu site e para seus perfis nas Mídias Sociais. Faça o seu Marketing de forma a que sua personalidade, conquistas e metas estejam disponíveis.

Você não só não tem o que esconder como tem muito que mostrar.

 

Qualidade

A construção de links é uma excelente forma de se destacar, mas tenha certeza de que esses links são reais e que realmente estão contribuindo para a sua reputação.

Acredite você não vai querer seu nome ou o da sua empresa, ligados a links de sites que podem acabar prejudicando sua reputação.

É isso, espero que de alguma forma tenha ajudado você a se inteirar mais sobre Gerenciamento de Reputação Online.

Acesse nossa página e saiba mais sobre Marketing Pessoal e Profissional.

Boa sorte!

Mídias Sociais… Você sabia? – Parte IV

linkedIn

O LinkedIn pode parecer a você uma Mídia Social completamente fora do seu interesse, mas na verdade, se você é um profissional, se lida com profissionais ou se a sua empresa é do tipo B2B (Business to business) , o LinkedIn é uma daquelas preciosidades ainda pouco exploradas no Brasil.

Palavra chave estratégica

Você pode incluir uma ou duas palavras chave de forma estratégica para que quando a alguém fizer uma busca sobre este tema o seu nome aparecer.

Se você quer que o seu nome apareça quando alguém digitar “veterinário” basta acrescentar a palavra dentro do campo “nome”, por exemplo:

Fernando Gomes – Médico Veterinário

Como no caso dos mecanismos de busca, o LinkedIn vai automaticamente associar o seu “nome” à palavra veterinário e ao exibir os resultados da pesquisa o seu nome estará entre os primeiros colocados.

Recomendações

Nas páginas empresariais do LinkedIn há uma seção na qual as empresas podem obter recomendações de clientes sobre seus serviços ou produtos.

Estas recomendações podem ser referentes a um ou mais departamentos de sua empresa ou a diversos produtos.

Isso é como uma carta de referência.

Acrescente mais coisas à sua página

Assim como no Facebook, você pode incluir alguns aplicativos para incrementar sua página, como por exemplo promover conteúdos através do aplicativo do SlideShare.

Ter esse conteúdo compartilhado pode ser de grande ajuda para o seu marketing.

Leia também os posts anteriores:

Mídias Sociais… Você sabia? – Parte I

Mídias Sociais… Você sabia? – Parte II

Mídias Sociais… Você sabia? – Parte III

Bos sorte!

Se o New York Times já se rendeu, o que você está esperando?

The-New-York-Times

O Mashable Business publicou uma matéria sobre a adaptação do jornal  The New York Times para celulares: “How The New York Times is adapting for mobile“.

Uma das declarações de Denise Warren, gerente geral do The New York Times que me chamou a atenção foi sobre a necessidade de evoluir para acomodar as exigências dos consumidores.

É muito difícil manter-se com o consumidor… As suas necessidades são insaciáveis”.

O projeto chamado “NYT Everywhere” uma nova estratégia do jornal que tem o objetivo de levar conteúdo aos assinantes nas plataformas que eles querem e a qualquer momento, demonstra a preocupação em não ficar para trás em uma época que os dispositivos móveis estão cada vez mais substituindo jornais e revistas impressos.

Novos aplicativos estão permitindo cada vez mais que os usuários/consumidores aproveitem os dispositivos móveis.

É esse tipo de pensamento que ainda falta a muitos empresários brasileiros, o reconhecimento das necessidades e, principalmente, exigências dos consumidores e a agilidade para resolver esta questão.

Em um mundo cada vez mais digital, onde as pessoas começam a preferir a tranquila leitura de um jornal em um tablete do que a bagunça de um jornal de papel (sem falar do cheiro que eu pessoalmente detesto), fica cada vez mais claro que essa preferência não é apenas para leitura.

Hoje mais de 79% das pessoas que viajam buscam informações de preços de passagens, estadias, pontos turísticos e transportes, na internet.

As agências, hotéis e companhias aéreas já estão disputando seus lugares na preferência, não só dos consumidores, mas dos mecanismos de busca.

No post “Como o seu site aparece nos dispositivos móveis” eu citei motivos para que os empresários adaptassem seus sites, mas essa matéria sobre o The New York Times nos faz pensar com mais carinho no assunto, certo?

Ainda que no Brasil tenhamos a tendência de esperar as coisas acontecer para finalmente nos adaptarmos, é bom que nossos empresários comecem a ficar mais atentos às tendências do mercado, não preciso lembrar que, via internet, até mesmo as compras já podem ser feitas no exterior e sem sair de casa.

Algumas empresas brasileiras começam a inovar com relação aos aplicativos, leiam a matéria: “Lista de convidados no iPad”.

Isso mostra que apesar de muitos, existem empresários com visão futurista, ou talvez eu deva dizer, com uma visão capaz de acompanhar a velocidade da tecnologia atual.

Boa sorte!

Links relacionados:

Mobile Phones in Marketing | INFOGRAPHIC

Como o seu site aparece nos dispositivos móveis?

Não regateie a Otimização do seu site

Eu não sei porque algumas pessoas insistem em achar que otimizar um site é algo caro demais para valer a pena.

Alguma até encontram profissionais que cobram um preço irrisório para realizar a otimização, no entanto, não podemos esquecer que muita gente compra gato por lebre por aí.

Vamos analisar isso? É claro que você vai encontrar serviços baratos, alguns até baratos demais para parecer verdade (o que, com certeza, não são). Mas será que vale mesmo a pena?

Você compraria um carro sem rodas apenas por ser mais barato? Ou um computador sem memória?

Você pode pensar: “Mas um computador sem memória ou um carro sem rodas não funcionam!” A otimização também não, pode acreditar.

Alguém pode tentar te vender SEO, com todo aquele linguajar técnico, como Meta Description, Keywords, Tags… Mas será que essa pessoa sabe realmente o que está fazendo? Ou mesmo, sobre o que está falando?

Economizar ao contratar um profissional para otimizar seu site pode te custar caro a longo prazo.

Tampouco fique surpreso se o seu site cair na lista negra dos mecanismos de buscar por uso de táticas “não éticas”. Neste caso, se você tentou economizar na contratação de pessoal, pense no que isso vai te custar se for banido dos mecanismos de busca.

Se isso acontecer, apenas reconheça que foi culpa exclusivamente sua, certo? E leve em conta que, uma vez que alguém tenha mexido no seu site de forma errada ou prejudicado a reputação dele de alguma forma, mesmo um bom profissional de SEO terá problemas para consertar o problema.

Otimização de sites não é barato. Se for, preocupe-se.

Então a questão é:

O que vale mais a pena? Pagar o preço justo por um bom serviço ou ter que fazê-lo duas vezes, sem garantia de conseguir tingir o objetivo?

Uma sugestão:

Procure algum amigo ou conhecido que já tenha contratado esse serviço e possa recomendar um bom profissional (ou lhe dizer qual não deve ser contratado). Procure na internet, em blogs de marketing online. Ou (e isso seria o mais esperto a se fazer) acesse www.suacampanha.com e me contrate. rsrs

Google quer sites mais rápidos

O SEO Hacker publicou um interessante artigo sobre as mudanças efetuadas no sistema de busca do Google, que incluíram agora a velocidade do site como fator de classificação para as SERPs.

O artido está traduzido, mas se você quiser ler o original é só clicar no link acima.

“É oficial, o Google está incorporando velocidade como um fator de classificação em seu mecanismo de busca. Algum motivo para pânico?

Bem, Matt Cutts parece estar tranquilo com relação a ao fato de a velocidade ter se tornado um outro item no Rank dos sites.

Ele explicou em detalhes em seu blog as mudanças que irão acontecer e os efeitos delas.

Não sei se é verdade, mas ele afirma que menos de 1% das consultas irá sofre alguma alteração como resultado da incorporação de velocidade de carregamento do site em seu posicionamento na página de resultados do Google. Esse é um número muito baixo na minha opinião. Tão baixo que não acho que eu vá ser incomodado pela mudança.

Parece que Matt está dizendo a verdade, pois alegou terem feito as mudanças há algumas semanas e eu não percebi nada em minhas consultas de pesquisa como especialista em SEO.

Matt também explicou porque as grandes empresas, que podem pagar hospedagens melhores e mais rápidas, não irão se beneficiar disso tanto quanto as pequenas empresas.

Os sites de pequenas empresas costumam responder mais rápido do que os sites das grandes às mudanças na Web. Isso significa que com algumas pequenas mudanças você pode aumentar a velocidade do seu site.

Matt resumiu essa mudança em três pontos principais:

Primeiro

Esta é realmente uma mudança de pequeno impacto, então vocês não precisão entrar em pânico.

Segundo –

Acelerar o seu site é uma grande vantagem de modo geral. Os visitantes do seu site vão ficar muito satisfeitos (e isso pode acabar gerando mais conversões). Um site rápido é melhor para todos.

Terceiro –

Essa mudança destaca que há coisas que podem melhorar a experiência do usuário no seu site. Em vez de perder tempo com palavras-chave e meta tags, você pode se concentrar em algo mais fácil, simples e que com pequenos passos podem melhorar a performance do seu site.

Fica então a dica: Melhore o seu site para acelerar a velocidade, caso você queira competir pelo topo da página de buscas orgânicas.”

Na minha opinião isso significa mais uma estratégia a ser usada em SEO, o que torna meu trabalho mais fácil.